Portal R10 MA

Governo usa inteligência para evitar vinda de quadrilha do Ceará para o Piauí

O governador Wellington Dias (PT) defendeu a ajuda dados pelos governadores do Nordeste ao Estado do Ceará. O vizinho enfrenta uma grave crise na área de segurança pública com ataques orquestrados por organizações criminosas, que atuam com o comando vindo de dentro dos presídios.

Wellington Dias afirma que as polícias do Piauí trabalham com o uso da inteligência para que essas organizações criminosas não possam atuar no Estado. No final de semana, o Piauí autorizou o envio de 20 agentes penitenciários para ajudar o governo cearense.

“Estamos trabalhando com inteligência, com todo o esforço e colaborando com o próprio Ceará. Temos hoje uma parceria que vai se transformar no consórcio do Nordeste. É uma proposta que já defendo há algum tempo. A exemplo da área da inteligência, que já é integrada com a equipe de piauienses, trabalhamos com outros estados, vamos avançar para a área da segurança para ter as condições de um apoio”, disse.

Diante da crise, o governador também defende a necessidade de parceria com o Governo Federal.

“Agora o Piauí e os Estados do Nordeste estão juntos com equipes, recursos humanos, colaborando nesse esforço de combater a criminalidade. Da mesma forma que o Piauí e outros estados estarão prontos para agir no Ceará e em qualquer ponto da região. Creio que essa integração com o Governo Federal é fundamental. Temos que concretizar o sistema único de segurança. O crime como se sabe é nacionalizado e há necessidade desse combate intenso da criminalidade”, destacou.

Bolsonaro
Depois da declaração polêmica do presidente Jair Bolsonaro, que falou para os governadores do Nordeste buscarem ex-presidente Lula em Curitiba, Wellington defende maturidade. Segundo ele, a relação com o Governo Federal é necessária e deve ficar acima de disputas partidárias.

“Vamos tratar com maturidade a relação com o Governo Federal. Somos o Brasil, e como parte do Brasil, vamos cobrar aquilo que cabe ao Piauí e ao Nordeste. Assim cada um dos estados brasileiros”, afirmou.

Lídia Brito

COMENTÁRIOS